quarta-feira, 20 de junho de 2012

A cara da riqueza e a cor do preconceito

Rodrigo Sant'anna se transforma em mulher, se pinta de preto, coloca dentes estragados e um nariz exageradamente achatado. Pede alguns centavos no metrô, e quando encontra um branco numa situação de aperto, oferece ajuda a ele, que se surpreende com os luxos da mendiga. “Nem eu tenho isso que você tem”. Um outro miserável no Zorra Total já ouviu que "está muito exigente para um pedinte".

Ou a Globo: a) entende que pedir é muito mais confortável que trabalhar (a lógica de quem é contra o bolsa-família), e, coitados dos brancos que trabalham tanto para ainda ter que doar dinheiro a pretos pobres (a lógica de quem é contra o bolsa-família...); b) está insinuando que os “luxos” da pedinte preta foram roubados. Como ela conseguiu?

Francamente, dado o histórico da Globo, que colocou uma Suzana Vieira como uma "nordestina que tinha vencido na vida sem depender das esmolas do governo", ou com as trocentas reportagens contra o Bolsa-família, não é nenhum exagero crer nas duas alternativas.

E o que é pior, o quadro não é engraçado. 

Se alguns achavam que havia algum problema em rir da Janete bulinada no metrô e a trans Valéria, imagine nessa agora. Depois de Danilo Gentili reclamando de não poder chamar pretos de macacos, eu não duvido de mais nada. Não há lugar para pretos na Globo, apenas o óbvio: na cozinha e como alvos de ridicularização.

-------------------------------------

A nova novela pornô, Gabriela, tem a Juliana Paes como protagonista. Mas sua pele não é verdadeiramente morena, foi maquiada. E o sotaque “baiano” do restante do elenco também foi maquiado. Mesmo não duvidando da capacidade de Juliana Paes em ser a sensual Gabriela, será que a Globo não tinha uma morena realmente morena para ser a protagonista? É curioso a busca da Globo pela classe C, mas com os velhos preconceitos de sempre. Atores majoritariamente brancos em suas novelas, protagonizando histórias em diferentes regiões do Brasil, com sotaques artificiais. Ora, numa obra de Jorge Amado... Enfim, é a Rede Globo.

--------------------------------------

Quem se escandaliza com a palavra preto na postagem, precisa entender que as palavras devem condizer com a realidade. Exemplo: se você é contra as cotas para negros, deve usar a palavra pretos, já que, na vida real, se recusa a entender que há uma deficiência na educação brasileira, que a pobreza tem cor, sim, e então estranhamente leva para uma "conquista pessoal" (os pretos estão sendo preconceituosos com eles mesmos porque querem dizer que não tem condição de competir com os brancos; eu não preciso de cotas para entrar numa universidade) o que deveria ser visto como uma política pública de inclusão social. Sendo assim, não faz o menor sentido se referir a negros como negros, se você os trata como pretos. E é isso o que ocorre no Zorra Total.

11 comentários:

  1. Boa Noite,
    Então , na sua opinião
    que CESSE toda e qualquer sátira sobre aquilo que não lhe agrada!!! Sobre o que vc julga ofensivo!!! Você conhece a descendência do ator que interpreta este personagem no ZORRA TOTAL?? Sabe sobre a história de vida dele, sobre a sua trajetória??? Pois bem...antes de disparar críticas, faz-se necessário reforçar que trata-se de um ARTISTA num programa de HUMOR !!!!!

    ResponderExcluir
  2. Não podemos compartilhar com o preconceito,O Negro já foi ridicularizado demais durante todo esse tempo, Como os menbros de religiões afrodecendente,Como a mídia vem se comportanto e até rotulando tudo o que não presta de 'Magia Negra' é tudo bem ficaremos mais uma vêz calados ? NÃO ! Exigimos respeito !

    ResponderExcluir
  3. Acho que a postagem não julgou o ator, mas a personagem. Vamos ler, pessoal. u.u
    Parabéns pelo post.

    ResponderExcluir
  4. gente o povo critica tudo, se fosse um branco estariam falando do mesmo modo. acho que quem começou com esse polêmico assunto que é o verdadeiro preconceituoso.personagem apenas. um dia sai do gosto do público. enquanto isso vou assistindo e rindo horroreeeeeeeeeeeeees
    minha mãe é negra ta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sempre vai hever idiotas que vão dizer não isso não e preeconceito tá o mundo vira as costa pra um continente necessitados e deixa milhares de crianças morrendo de fome, lhes tiram seu pais para escraviza-los não se iginorante este pais foi formado pelo trabalho escravo. Não de sua opinião nojenta esta frase(não isto não é preconceito) Uma nação de seres humanos foi escravizada não so fisicamente ridicularizam de todas as maneiras
      tem um milhão de piadinhas preconceituosas não seja mais ipocrita.

      Excluir
  5. Embora nao concorde com outras coisas q li no seu blog... achei espetacular essa matéria... era justamente o que eu queria escrever no meu TCC a respeito da discriminação, racismo e cotas. Muito obrigada por contribuir... pode deixar q vou citar direitinho lá! Um abraço

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Na minha opinião humor é uma coisa, preconceito é outra totalmente diferente e concordando com o Nadson acima eu sou a cara da riqueza, nojento(a),kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk...

    ResponderExcluir
  8. Quadros como estes colaboram para que os bulling continuem existindo, as famílias negras e seus filhos sentem-se constrangidas com quadros como estes. Este ator parece não se enxergar, enquanto negro que é.

    ResponderExcluir